6 de novembro de 2012

Go.

Dia desses eu abandono todo e qualquer vestígio seu.
Canso tanto que mal quero olhar uma mensagem sua ou uma foto que traga alguma recordação.
Não há falta que supere a raiva que trago aqui no peito dos dia que me incomodam ao olhar pra trás e ver que estou aqui, justo onde não queria estar. Longe de tudo que um dia me fez sorrir. E hoje estou carregado de lágrimas.
Lágrimas que não caem, que não se manifestam. Abro um sorriso pra solidão e finjo que está tudo bem.
Mas estou cansado. Quero ir embora daqui, de você, de tudo. Queria calçar umas botas de frio e um casaco azul e me mandar pro sul. Pra longe desse inferno. Deve nevar no céu. Por que aqui pega fogo às vezes.
Infelizmente eu apenas fecho os olhos e sonho, por que sonhar não mata, não engorda e não faz mal. Mas eu queria mesmo era acabar logo com tudo isso e te deixar ir também. Não vê que eu não tenho mais pra onde ir? Por que ainda insiste em me perseguir? Não há estrada mais à frente, eu paro por aqui. Você também não deve continuar.
Vamos logo acabar com isso, te deixo viver. Te arranco da minha vida aos trancos, é melhor. Um dia você desiste de mim. Eu vou acabar aqui num desses cemitérios sem nome, lenço ou documento. Estou desistindo de mim, desista também.
Quando ninguém quiser te ouvir, menina e você então lembrar de mim, por favor, esqueça-me. Eu já morri. Por dentro. Não posso mais te ajudar. Há caminhos lá fora que irão te pertencer. Fuja. Rasgue o verbo, grite. Faça mal a alguém, faça mal a mim. Apaixone-se outra vez, ou não.
Tive uma noite muito longa hoje, não tenho mais pretensão de ficar. Estou indo embora, garota. Vá também. Não vê? Ou não quer mesmo enxergar? Você tinha sonhos de ir à Porto Alegre, rumar os caminhos da chuva. Chove muito aí dentro, não se deixe afogar. Realize teus sonhos, para que um dia faça sol na sua janela e você possa sorrir e dizer que está onde queria estar e sair então pra ver o mar.
O que te prende à mim? N-A-D-A. Não espere eu te dizer isso um dia, irei te machucar. Vá por conta própria, Deus te guiará. Eu não.

2 comentários:

  1. Que lindo texto Srta! A Srta escreve divinamente, com o coração! abraços

    ResponderExcluir
  2. Que postagem ein Carolyne *-*
    Super,super, superprofundo. Quanto sentimento, quanto tuudo :D

    Adorei!
    Beijos.

    ResponderExcluir