5 de abril de 2012

17



Não te amo como eu disse um dia. Não te quero como quis um dia. Não sinto nada que possa me fazer mudar de ideia. Aliás, não tenho ideias. Nem sentimentos. Um dia precisei muito deles, era como cigarro, me fazia bem e mal, ao mesmo tempo. Hoje, prefiro o cigarro.
As coisas boas ultimamente andam acontecendo com mais frequência e ontem eu senti que a mesma de antes é a estranha de hoje. Essa estranha sou eu. E eu gosto dessa estranheza, acho que me adaptei a ela, ou ela se adaptou a mim. Vai saber.
Quero hoje apenas ser essa pequena estranha que aqui surge, porque gosto dela. E foda-se o resto. Foda-se quem um dia eu amei e que agora não amo mais. Fodam-se as lembranças. Foda-se quem está longe achando que está perto, não existe mais conexão, ligação, nem porra nenhuma de amor que sobreviva à distancia. Eu quero mesmo é me libertar. Aliás livre já sou, só me resta saber exercer.

Um comentário:

  1. Olha, estou passando exatamente por isso neste momento, mas tire o amor e adicione amizade, ou ex. Descobri que se amar e se por em primeiro lugar é a melhor coisa e desapegar as vezes, é muito necessário. Tem certas coisas que estão fora no nosso alcance e não vale a pena se estressar por isso. Chega um momento em que é necessário, seguir, viver e deixar rolar. Vamos que vamos *_*
    Estava com saudade daqui, me afastei, mas estou voltando cheia de novidade, grandes beijos ^^

    ResponderExcluir