10 de outubro de 2011





Hoje te vi andando na chuva.
Você não olhou pro lado ao atravessar.
Quando vi seu vestido molhado
cabelo amarrado
com coração fadado
pensei ''porque diabos não amei essa garota?''
Você olhou pra trás,
virou a esquina
e foi ali
aqui
nessa dobra da esquina você se despediu de mim.
Meu coração de menino gelou
e eu fiquei ali pa-ra-li-sa-do
lembrando de quando a gente se deitou naquele gramado da sua casa. Com duas cervejas e você me pediu amor. Segurou a minha mão, olhou pra dentro de mim, e desejou ser amada. Você me pediu amor.
E eu simplesmente não consegui dar. Se quer sorri. Eu nem estava ali.
E você escreveu na manhã seguinte do lado da cama. "Estávamos chegando perto."
Foi tudo que deixou de ti.
E estávamos chegando perto. Mas, eu simplesmente não consegui te dar amor naquela noite.
E você se foi.
Quando te vi hoje. Molhada. Talvez resfriada.
Dobrando a esquina. Eu senti pela primeira vez que estávamos chegando perto.
E agora, você está longe demais.

VERONICA RODRIGUES

3 comentários:

  1. A gente deixa as melhores oportunidades passarem né?
    É complicado demais uma situação dessas, mas acho que somos fortes pra reverter isso. E assim espero.
    Adorei, texto lindo demais.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, sentir a distância, também diz muitas coisas, linda poesia Srta, abraços

    ResponderExcluir
  3. Esse texto é muito lindo, fiquei sem palavras.

    ResponderExcluir