9 de julho de 2011



Você caminha por rumos afora, pés descalços, mãos no  rosto e o coração de gelo.Você olha ao redor e vê inúmeras possibilidades de amar de novo, mas revira os olhos e prefere se manter assim como está.
Você tem tudo aquilo que precisa e sabe sempre o por que dos prós e contras, é inteligente, esforçado. Não precisa de muitos artifícios mas não gosta de ficar só. Ainda lembra a última vez que se apaixonou de verdade, e lembra da noite em que precisou resgatar seu coração, em pedaços. E reconstruí-lo. Pedaço por pedaço, chegando a jurar que de amor não viveria mais.
Você aprende que o tempo não apaga as lembranças, mas elas ficam fora de foco. Coisas novas vão surgindo. Amigos, farras, festas, bebidas. E a ferida vai sumindo devagar. No calar da noite, involuntariamente o escuro é uma porta pras lembranças, e fecha os olhos. É como se houvesse acontecido ontem. Mas você não sente vontade de chorar, e finalmente abre os olhos e sorri. Cicatrizou.
Hoje você não precisa mais se apegar tanto à alguém, hoje sua felicidade não depende de ninguém pra existir. 
Hoje sua luz se propaga sozinha, sem forças superiores. De certa forma, seu coração já não bate por alguém da mesma maneira de antes, seu corpo já não abriga calor suficiente para manter alguém ao seu lado por muito tempo. Antes mesmo de virar afeto, você foge. Isso não é fraqueza, não é. Essa é a sua maneira de se manter forte, porque o amor diferente do que muitos pensam, nos enfraquece, nos detém, é um invólucro para a alma, uma prisão. E não está errado. Mas errar as vezes pode ser um acerto. Porque arriscar é um risco, mas não arriscar é um risco pior ainda. Na dúvida, erre. Sem medo, o erro te leva a um novo acerto.
Porque hoje, sua vida moderada e monótona te impede de sentir o calor de alguém, te impede de manter alguém ao seu lado, porque de tanto você fugir, agora as pessoas fogem de você, da sua frieza, da sua  maturidade egoísta que você considera a melhor solução pros seus problemas. Você tem medo de errar de novo, e ser novamente o único catador de promessas perdidas e lágrimas furtivas de um outro amor que se foi.
Mas e quem foi disse que se pode esperar só o melhor de tudo? Isso também é um erro, e sempre haverão milhares de outras decepções. Mas não se pode desistir no primeiro obstáculo, isso sim é fraqueza. Outro erro é esperar apenas o pior, as pessoas também podem surpreender. Nesse caso, fique focado no meio termo, não espere mais nem menos, espere apenas aquilo que você sabe que alguém pode te oferecer. Apenas se permita viver, porque a vida é amor e isso não é só mais um estereótipo de porta de igreja ou comercial da coca-cola, isso é a única verdade que se pode ter absoluta certeza, meu caro.