6 de maio de 2011



Acordo. Tomo um café. Sento na varanda. Ouço discos de vinis. Músicas antigas, quando havia sentimento verdadeiro pra compartilhar. Sentimentos antigos. Quando eu ainda tinha um amor. Gosto do vento batendo nas árvores. São 5 da manhã e o alvorecer está só começando. Um novo dia, mas com as mesmas velhas lembranças que nunca se vão. Hoje eu quase não dormi e ouvi música a noite toda. Sinto-me outra pessoa. Renovada e cansada, e com os mesmos sentimentos antigos que moram no meu coração. Esse velho amor, que vive aqui. Comigo. Senti vontade de acender um cigarro e ver a fumaça se desfazer lentamente, como a velha canção de amor que escuto baixinho, só para mim. Senti saudade de um sorriso que há tempos não vejo. Senti vontade de reviver uma velha amizade que o tempo levou. Senti saudade de alguém. E pensei em chorar. As lágrimas não resolveriam, mas aquietaria a dor. E lentamente olho pro céu, pequenos raios de sol incidem sobre meu rosto e mais uma vez, eu desejei estar perto de alguém. E fechar os olhos. E sentir na pele a lembrança do último abraço, o entrelaçar dos dedos e o beijo roubado. Esse alguém que fugiu da minha vista e do meu coração. Um dia resolvi amá-lo, mas nada me sobrou. Então resolvi esquecê-lo, e aqui estou. Saudade às vezes bate, mas logo se vai. É só o tempo de eu abrir os olhos e voltar a sorrir.

Ao som de Santa Esmeralda - you're my everything

4 comentários:

  1. Lindo demais Carol. Fique bem querida!

    ResponderExcluir
  2. por que não há muito tempo em nossa vida pra ficar curtinho tristeza. Esses bons momentos a gente bota na sacola e segue em frente.

    beeijos flor

    ResponderExcluir
  3. As lembranças sempre farão parte de nossas vidas. Por mais que doa, às vezes, temos que aprender a lidar com elas.

    Lindo o seu blog, querida!
    beijos

    ResponderExcluir