4 de janeiro de 2011





Não sei o que é pior: a raiva que me dá de não parar de pensar no que eu deveria esquecer, ou tentar esquecer o que é impossível não lembrar. O estranho é que eu já nem sei se é certo esperar, ou não deixar pra depois o que pode ser feito agora. Acho que me perdi no último adeus, me distanciei de coisas sólidas, concretas, agora, sobre espaços vazios e noites acordada, sinto que aprendi um pouco mais sobre a solidão. Não quero perder o último fio de lucidez que me resta, não quero sumir por aí fingindo que não sei o que estou fazendo, porque eu sei. Eu sei exatamente no que me tornei, alguém indecisa demais pra tomar suas próprias decisões sozinha, sou o retrato perfeito da imperfeição, porque sempre busquei o melhor de tudo, e nada consegui. Por isso parei com essa coisa boba de esperar o melhor das pessoas, de tudo. Eu não me lembro a última vez que suspirei de alívio por me sentir leve, aliás sinto uma falta de liberdade tão grande que até falta força pra viver, falta a vontade de abrir as janelas e deixar o sol se impor sobre o meu quarto, sobre as cores escuras que não querem sumir. Na falta de perspicárcia, meu mal humor se sobressai, e muito bem. Na falta de amor de verdade e por sobrar tantas lembranças irreprimidas e consumidas pelo tempo, deixo as coisas livres para tomar seu próprio caminho, não quero sufocar sentimentos que já não me fazem bem, não quero me sufocar. Então, agora tudo que é meu fica livre para ser o que quiser, se continuar comigo é porque no fundo, ainda há um amor que se possa compartilhar.

7 comentários:

  1. Lindo teu texto. Me identifiquei muito com ele. Que seja doce, e foi. Palavras doces encantam e fascinam, lindo mesmo :*

    ResponderExcluir
  2. Lindona, sabe que quando abrimos a gaiola e aquele querid e lindo passaro que mantivemos lá prezo por anos se vai é sinal de que ele precisa se sentir vivo, livre... Mais isso não o impede de voltar.
    Ao contrário isso mostra que ele não precisa ter medo de voltar porque jamais será aprisionado novamente.

    Adorei seu post.
    Kisses
    Thaty
    Pedaços do Cotidiano

    ResponderExcluir
  3. Lindona, sabe que quando abrimos a gaiola e aquele querid e lindo passaro que mantivemos lá prezo por anos se vai é sinal de que ele precisa se sentir vivo, livre... Mais isso não o impede de voltar.
    Ao contrário isso mostra que ele não precisa ter medo de voltar porque jamais será aprisionado novamente.

    Adorei seu post.
    Kisses
    Thaty
    Pedaços do Cotidiano

    ResponderExcluir
  4. "tudo que é meu fica livre para ser o que quiser, se continuar comigo é porque no fundo, ainda há um amor que se possa compartilhar."
    Adorei muitoooo *---*
    Teu blog é perfeito.

    ResponderExcluir
  5. "sou o retrato perfeito da imperfeição, porque sempre busquei o melhor de tudo, e nada consegui."

    Me identifiquei muito com esse trecho e penso que enquanto pensarmos assim não vamos conseguir nada mesmo, temos que acreditar mais, viver com mais intensidade e o que for verdadeiro sempre vai ficar!


    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Lindo seu texto, adorei. E me identifiquei pra caramba, me sinto assim também, ser saber o que fazer, sem saber como esquecer...
    Beijos

    ResponderExcluir