20 de janeiro de 2011

And we hurt.



Estamos velhos, cansados e desiludidos. A base de toda nossa inspiração se esvaiu com o tempo, levou com ela nossos primeiros amores, aqueles sinceros, reais, para o qual nos entregamos de corpo, alma e coração. Então ficamos aqui, esperando o calor ir embora e dar lugar a tempestade que prometia vir. Assim o tempo passa, algumas coisas mudam porque simplesmente deveriam ser mudadas, mas ainda não nos libertamos das antigas angústias que vivenciamos, ainda guardamos viva toda lembrança machucada, dilacerada pela dor. Por isso, há sempre motivos pra nos distanciarmos de tudo que possa nos aproximar. O que me sufoca, além da ausência, é a incompreensão. Tentar já não é necessário porque é tarde, é tarde pra tomar qualquer medida. Ficamos velhos, sedentários. Esperando que o tempo traga de volta nossas antigas verdades. Ficamos cansados porque esperar nunca foi nosso forte. Estamos nos afastando de tudo que um dia poderia nos fazer bem, por medo. Esboço em linhas de papel pequenos traços de uma vida em pedaços, um sorriso triste, uma dor crescente e tênue, que as vezes esqueço por dias, mas volta sempre que penso no que poderia ser um 'nós. Sobre a pele alva e tépida o sol reflete seus primeiros raios da manhã, e eu sinto transparecer a verdade que luto pra deixar subentendida. E esses nossos anseios tolos, pertubam, e nos tiram o sono, mas de nada servem quando velhos corações machucados e quebrados insistem em manter-se frios e absortos a tudo isso. Através do nosso cansaço a solidão se desprende, nossa companhia constante. Mesmo cercados por tantos, ela nos abriga em meio a dor que tortura nossa retina, endurece a alma e pernoita sem medo, sem promessas de ir embora. Procuramos então nos prender a músicas, filmes e pensamentos solitários, vivendo pra nós e morrendo por nós e ninguém mais. Eu vivo por dentro, você vive por dentro, nosso egoísmo se funde de nossos sonhos que queríamos compartilhar, mas que foram jogados fora por pessoas que não sabiam como lidar com sentimentos a flor da pele, como eu, como você. Somos sentimentos intrísecos e frágeis, somos tolos, mas é isso que somos, não é pra ser explicado, nem entendido, é pra ficar assim: subentendido e ponto.

Baseado na série Gossip Girl.

4 comentários:

  1. "O que me sufoca, além da ausência, é a incompreensão."
    O texto todo ficou lindo demais, mas a parte que copiei e colei e o ultimo paragrafo ficaram perfeitos!
    E o casal Blair e Chuck caiu como uma luva para o seu texto.
    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  2. Que lindas palavras, gostei daqui vou seguir-te.

    ResponderExcluir
  3. seguindo vc!
    me segue tbm?!
    http://stilo-pink.blogspot.com/
    bjus*nyna

    ResponderExcluir