8 de dezembro de 2010

Deixa assim ficar


E então fiquei bêbada de novo. O que já quase não acontecia, agora está virando rotina. E eu gosto disso. Tudo está bem quando danço, tudo está bem quando o álcool se mistura ao sangue, e aquele pulsar de veias, o calor. E o esquecimento, a perda da razão. Até parece que não sou daqui, ou talvez eu nem sei quem sou. As luzes tremeluzindo, e tudo ficando claro e depois escuro, já não saber que horas são, ou quem está do teu lado, nem importa. Deixa assim eu brincar, brincar de ser feliz, deixa assim me parecer que felicidade é isso, é esquecer. Deixa eu pensar que posso tudo, até voar. Deixa-me ser tua, deixa eu te provocar, aliás, deixa eu te ganhar. Me deixa assim ficar, brincando de amor, brincando de amar. Porque alguma coisa eu tenho que amar, só não sei o quê. A minha clara ilusão, me faz ver luzes que não brilham, minha embriaguez me faz rir do que não é engraçado, mas deixa. Assim, sobre o efeito deletério do álcool tudo parece mudar, sobre outras luzes, outros corpos, uma metamorfose. É tão simples como a dor que vem depois. É como cair e se deixar apagar, é o peso do inconsciente sobre as lembranças ébrias. Então assim me deixa ficar, nessa doce ilusão de sonhos e paixões insanas, me deixa assim preencher o vazio que cresce, devagar e intenso, em mim.

7 comentários:

  1. O amor ébrio é intenso.
    Existe a emoção líquida, a música alta e os movimentos compassados.

    Oferecendo o amor, a conquista feminina numa noite sem fim.

    Isso daria um roteiro.
    Fazia tempo que não vinha... vou voltar sempre.

    ResponderExcluir
  2. Eu tambem era assim antigamente, bebia pra poder aliviar algum tipo de culpa ou até mesmo para colocar a culpa na bebida,

    mas tenha cuidado, quando o efeito passa.. a dor vem em dobro! Literalmente.


    beijos minha flor!

    ResponderExcluir
  3. Beber tem o efeito passageiro, se sentes bem em um momento, e depois, tudo dói muito mais do que doía antes da bebedeira. Beijos

    ResponderExcluir
  4. E é de amor que eu me embriago, haha. Mas confesso, me embriaguei com suas palavras :) Lindas!

    ResponderExcluir
  5. "tudo está bem quando o álcool se mistura ao sangue, e aquele pulsar de veias, o calor. E o esquecimento, a perda da razão. "

    Já fiz tanto isso, mas é inutil né, porque no outro dia lembramos de tudo e talvez ate em dobro!

    Belo texto!


    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Mais tóxico que o alcool é o amor... E você tá no caminho certo... eles se completam! Seguindo.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado, alcoolatra! rs
    Vou esperar suas atualizações

    ResponderExcluir