4 de novembro de 2010

Minhas incertezas concretas



Não tenho pressa de amar, não tenho pressa de falar, o amor é feito de futuro e de histórias pra contar.
Não sei se foi o teu olhar de folhas secas em pleno outono, ou o castanho dos teus cabelos.
Não sei se foi o teu sorriso espontâneo, ávido, ou teu jeito perspicaz, esperto e criativo, não sei o que mais me encantou.
Dei adeus ao passado, agora sou totalmente presente e futuro, por sua causa, porque não admitir?!
Eu estive todo esse tempo pensando em você, imaginando mil maneiras de esbarrar em você, de olhar pra você, mesmo de esguelha.
Agora, espero pelo amanhã, espero pela noite que logo virá, não tenho medo de esperar.
Sei que não há certezas em tudo que digo ou escrevo, e eu posso estar tentando fantasiar,
mas lá no fundo, bem lá no fundo há uma voz que ecoa,
me fazendo acreditar que tudo que escrevo, se transforma lentamente no digo, no que faço.

2 comentários:

  1. Olá amiga, tudo bem? Estou voltando usar o meu blog. O meu blog Fabiane Aline será fechado, por problemas técnicos. Agora me encontro em novo endereço:
    http://embuscadasensibilidade.blogspot.com/

    Ficarei grata se puder me seguir. Também estou seguindo o seu blog.

    Aguardo a sua visita.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. O amor é um sentimento tão confuso,não é mesmo? Amamos e nunca sabemos o que esperar da outra pessoa.
    Talvez por isso que amar significa não esperar receber! :)

    -

    beeijão!

    ResponderExcluir