16 de outubro de 2010

Ainda há tanto pra viver

Eu pude me reiventar, mais uma vez. As cores da estação se renovaram, as flores voltaram ao seu ápice, o sol brilha mais forte, as chuvas cessaram há tempos. Sei que não posso ter tudo que quero, sei que não tenho o bastante para ser feliz, mas aprendi a reparar nas pequenas coisas. Mesmo que as vezes uma pequena onda de tristeza, mais pareça um mar de dor, é preciso estar sempre distraído. Sim, distraído. A tristeza não gosta de distrações, quando você se distrai, esquece que ela está sempre com você. Assim, ela não se torna mais o centro das atenções. Foi isso que aprendi, testei uma vez e deu certo. Agora procuro sempre algo que possa me levar pra longe de toda dor, mesmo uma pequena gota de água que cai do céu, ou uma brisa leve que balança as folhas de uma árvore. Quando sinto uma tempestade perto, busco meu refúgio, procuro por pequenas peças que se encaixem, talvez um quebra-cabeças ou um jogo de palavras, as vezes escrevo. Sim, escrevo, e admito, não há nada melhor. É infalível. É como se todos os meus problemas saíssem dos meus pensamentos e ficassem apenas nos papéis, nas palavras, guardados lá, esquecidos por um mês ou dois. Fico até mais leve, solta, livre. Mas quando as lágrimas caem, é impossível se distrair, isso eu sei. Doer. Dói, e muito. Mas cada gota de  lagrima que cai, é um pouco do amor indo embora. E as deixo cair, não me distraio, não escrevo, apenas as deixo livres. As lágrimas são uma parte da dor que se vai, e no outro dia, mesmo com a cara inchada e algumas cicatrizes no peito, ainda sim sinto uma pequena parte de mim um pouco mais leve que antes. É o amor que vai se esvaindo aos poucos, deixando espaço para novas distrações. E ainda assim, não há tempo para sofrer, acelero um pouco mais, por que a vida me espera, ainda há muito pra viver. Há um caminho pra seguir, ainda há uma grande caixa de sorrisos guardados pra amanhã, e sem medo de desperdiçá-los, irei sorrir até doer o estômago, porque a vida não é só feita de dor, há sorrisos pra espalhar, há amigos pra contar, há um mundo lá fora com tantas expectativas pra viver, e eu ainda existo em mim, cada dia mais forte, como águia que ressurgi das cinzas.

2 comentários:

  1. "porque a vida não é só feita de dor, há sorrisos pra espalhar, há amigos pra contar, há um mundo lá fora com tantas expectativas pra viver, e eu ainda existo em mim, cada dia mais forte(...)"
    Compartilho do mesmo sentimento, no momento. A vida pode nos doer às costas, porém, se estamos sorrindo de frente para os problemas, eles simplesmente diminuem consideravelmente.
    Sorte pra ti, guria!
    Beijoca

    ResponderExcluir
  2. A vida não é so feita de dores assim também como não é feita so de festas, alegrias!

    Devemos sempre sorrir pros problemas e enfrenta-los de cabeça erguida!

    Lindo post, e boa sorte pra ti!

    Beijos

    ResponderExcluir