23 de julho de 2010

Cicatrizes



Um oi, um adeus. Não importa muito.
Fui aquela festa, muita gente, calor, as pessoas nos tocam sem nem ao menos perceber.
Quero a bebida mais forte, que tal um wisky?
E quem sabe um cigarro, não que eu tenha voltado a fumar...
A música alta, estonteante, meu corpo se eleva e corre pra pista de dança,
não importa o calor, não importa que eu esteja de saia, mas dançar sempre foi meu forte.
Esperei, olhava para todo lado, não estava lá.
O que eu procurava afinal? Eu pelo menos sabia o que procurar?
Sim eu sempre soube, mas não, nunca está quando eu preciso.
Sempre foge de mim, quando fica, decepciona, nunca é como eu quero.
Nada é como quero. Tudo dando errado, afinal.
Foi mais uma noite, mais uma festa, e ainda não encontrei.
Talvez eu esteja no lugar errado, ora errada, ou dia errado. Mas esperanças se vão.
E no vão da porta, eu paro, olho as várias chaves, a dourada, lembre-se a chave dourada.
E entro pelo saguão, caio na cama. E só;
Quem sabe a próxima festa, eu encontre, ou quem sabe eu nunca o encontrarei.
Vai saber.

2 comentários:

  1. Que lindooo seu blog e seus textos!! estou seguindoo
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Você encontra, mais cedo ou mais tarde vc encontra aquilo que está procurando ^^

    Bjs =)

    ResponderExcluir