12 de abril de 2010

Máscaras

 

Ainda que doce o dia se faz, em pequenos raios de sol que se soltam livremente pelo céu, e as cores que emanam por si só, vivas e sorridentes que trazem um sentimento de paz, ainda que a sensação de liberdade se faça crescer em mim, ainda sim, dói. E nada é tão cortante e tão dilacerador que estar tão perto e parecer tão longe. Longe de tudo. Tanta matéria e nada de sentimento, tanta felicidade, que só existe por fora, como uma capa protetora, que só serve para fingirmos ser algo que as vezes não somos. E quando somos, ela passa tão rápido, que passa despercebida e silenciosa. E tudo volta ao seu estado de "falsa" felicidade, afinal, é isso que somos, máscaras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário